terça-feira, 16 de dezembro de 2014


DESAJUSTADO CORAÇÃO

Já tive muito só. Andava, por aí, sem rumo e sem vontade. Não aceitava minha “passagem”, meu desencarne. Não refletia com equilíbrio e justiça sobre meus próprios passos. Exigia consolo, abrigo e  compadecimento. Não admitia, contudo, repreensões e admoestações.    
Pensava que este mundo aguardava-me como felicidade alcançada. Acreditava que deixaria o mundo “dos vivos” e adentraria ao “dos mortos” liberta de pressões por condutas morais irrepreensíveis, livre de cobranças e compromissos sociais e familiares e, acima de tudo, verdadeiramente esperava encontrar-me diante da liberdade absoluta. .
Surpreendeu-me trazer comigo os mesmos temores e angustias que alimentara “em vida”. Não apenas eles, mas também, as dores físicas pareciam perturbar-me com a mesma intensidade. As sensações e, muito custou-me aprender que não necessitava do alimento material ou da bebida para saciar fome e sede. Faltou-me paciência e reflexão para transpor essa ponte entre a vida e a morte com serenidade e aceitação.
“Em vida” tudo queria, tudo desejava com ansiedade e sem medidas. Faltou-me educar a consciência muito mais que aos modos.
Persevero hoje na decisão de libertar-me deste cativeiro de angustias e sensações materializadas. Já não vivo tão só. E, ora vejam só, finalmente compreendi que não existe o mundo “dos vivos” e o “dos mortos”. A vida continua exuberante deste outro lado e se manifesta de muitas formas que nem mesmo ainda posso compreender.
 Acompanho a vida de pequena comunidade que, nas horas de desilusão e rebelião, me acolheu em seus braços fraternos. Convivo com outros como eu, ansiosos, rebeldes, ignorantes e carentes de disciplina e compaixão.
Quando me permitem cá retorno eventualmente, trazendo noticias esperançosas ou apenas, como agora, deixando meu depoimento.
Quero agradecer àqueles que perseveram em mim, que me ajudaram a andar quando já me imaginava “morta”, que me ajudaram a ver, quando me acreditava cega e embalam-me em canções que falam de amor e solidariedade, alimentando, dessa forma, a fé que já esteve escassa em meu desajustado coração.
Que Deus nos abençoe a todos.
  Janaína.
      

 Psicografia recebida em Reunião Psicografia  2014

             Médium:  Ana Paula.

6 comentários:

  1. Lendo tds estas psicografias..fico anciosa em saber o se encontra meu filho que desencarnou longe de mim...morava em Londres...ataque cardiaco eqto. estava dormindo e se encontrava sozinho..tanto que a data de obito consta como estimativa...mas, espero que eu seja merecedora e ele tbm de podermos nos falar nem que seja com poucas palavras...Que Deus me perdoe se não consegui fazer tudo que fosse possivel..mas, sempre o amarei..seja onde estiver...seja do jeito que for..
    MARCO ANTONIO REIGADA RODRIGUES
    nascimento: 13.08.1987
    desencarne: 29 ou 30.04.2013

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcia Maria irei colocar o nome dele na nossa reunião e se for com a permissão de Jesus ele e merecimento de ambos os lados a carta vem. Estaremos de recesso nas nossas reuniões de 20 dez a 14 jan 15. No retorno colocarei o nome dele. Uma abraço e feliz natal.

      Excluir
  2. Bom dia, gostaria de receber uma carta de meu pai, CELSO GERALDO DE CASTRO PEREIRA

    Data de nascimento :01/08/1955

    Data de desecarne:21/12/2010

    ResponderExcluir