sábado, 4 de novembro de 2017


A MORTE NÃO É O FIM, É O COMEÇO DE UMA NOVA VIDA

Se eu fosse escolher a minha vida hoje, jamais escolheria aquela fábrica  para trabalhar.
Fui jovem, cheio de sonhos e queria ter um lugar que me desse segurança a mim e minha família que eu pretendia construir. Conheci uma moça alegre bonita e muito delicada e eu pretendia com ela me casar. Pois bem, o emprego que me foi oferecido foi naquela fábrica de tecidos. E lá fui eu cheio de boa vontade.
Eu consertava as máquinas quando elas estavam estragadas, pois além de tecelão eu entendia bem de máquinas.
Trabalhei muitos anos, até que meus filhos cresceram e também seguiram seus rumos.
Fiquei eu e minha velha(que era aquela moça bonita) que aos meus olhos ela continuava linda.
Estava prestes a me aposentar, quando uma máquina de tecer e dobrar os panos emperrou. Me chamaram e lá fui eu. Tive que entrar por baixo das ferragens para ver o defeito. E não sei porque carga d’água a máquina começou a funcionar. E eu fui colhido por ela. Machuquei muito. Levaram-me ao hospital, mas eu não resisti.
Para mim eu ainda estava no hospital e queria ver minha “velha”, mas ela não vinha. Queria dizer a ela que não ficasse preocupada, pois eu iria me recuperar e voltaria para casa.
O tempo foi passando e nada disso aconteceu. Eu melhorei, comecei a convalescer, e não me levaram pra casa.
Parecia que eu estava em outra cidade e eu comecei a me preocupar.
Uma tarde, eu estava passeando com um companheiro que sempre me acompanhava, vi chegar até mim minha mãe, muito jovial e alegre. Como? Perguntei eu. Minha mãe havia morrido há mais de trinta anos. Foi o maior choque para mim, pois aí eu soube que já havia morrido.
Comecei a preocupar-me com minha esposa, e fui informado que também ela estava no mesmo hospital em que eu estivera.
Pedi para visitá-la e lá fui eu. Ela estava dormindo como num torpor e mal me viu.
Eu senti muito a necessidade de ficar com ela e lá me deram a oportunidade de cuidar não só dela, mas de dois outros enfermos que estavam no mesmo quarto.
Venho aqui prestar esse meu depoimento para lhes dizer: a morte não é o fim, mas o começo de uma nova vida, novas oportunidades e novos horizontes se deparam para nós.
A humanidade precisa de espíritos que saibam consertar máquinas, mas que também possam cuidar de seus semelhantes.
Estou feliz e me despeço agradecendo essa oportunidade. O trabalho me espera.

Lauro C. Costa.
Desencarnado há 15 anos.

            Psicografia recebida em 2017.
            Médium: Catarina. 

9 comentários:

  1. Essa é a verdade demonstrada pela Doutrina Espírita.

    ResponderExcluir
  2. Oi como eu faço para tentar receber uma carta de minha irmã? Leni Araujo Andrade é ela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No lado superior direito temos alguns links que vc pode pedir. No momento estamos muito lotados de pedido a.

      Excluir
  3. sinto que meu pai esta tentando me enviar alguma mensagem, Ivaldo Carrara desencarnado em 10 de dezembro de 2017.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que vc errou ano de desencarne, por favor consertar. Obrigado

      Excluir
  4. Oi queria receber uma carta do meu irmão tenho muita saudade dele sonho que ele tá cada vez mais distante

    ResponderExcluir
  5. 💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖 que lindo

    ResponderExcluir
  6. Ivaldo Carrara Desencarnado em 10 de dezembro de 2016 . Meu pai que não pude dizer adeus.

    ResponderExcluir