domingo, 27 de julho de 2014



PEQUENOS PARDAIS DE ASSAS QUEBRADAS


 Gostaria de agradecer ao papai e a mamãe pelo carinho devotado ao longo de meus anos. Queria poder dizer-lhes o quanto sou grato também pela paciência.   
 Os dias de enfermidade passados sobre a cama na companhia de mamãe renderam-me horas preciosas de consolo e reflexão. Contava-me com saúde e esperava da vida, ao encarnar, tudo que os demais pretendiam: crescer e amadurecer, viver alegremente os anos da infância e conquistar meus antigos abjetos de desejo. Surpreendi-me, muito cedo, lançado ao leito da enfermidade e tolhido pelo cérebro febril. Muito revoltado, ainda nutria esperanças de que minhas súplicas e irrefletida revolta comoveriam aqueles que mudariam o curso de meus dias. Não teria tanto direito à saúde do corpo e o equilíbrio racional que agraciava meus primos que iam e vinham em visitas intermináveis?
Assistia impassível aos presentes que me incitavam às peripécias e brincadeiras que meu corpo era incapaz de usufruir. A bola multicolorida sempre permanecera, ali, ao canto do quarto, a espera da criança lépida e fogosa.
Cedo, contudo, compreendi que aquele destino de expiação serviria à recomposição de meu corpo e espírito destroçados por meus insanos atos do passado.
Quando parti, de vez, entre suspiros de mamãe recolhida às lagrimas, logo vi-me desprendido daquela cela disforme que servira-me a curta existência e , entusiasmado pela liberdade de movimentos e sentidos levitei como passarinho pelas nuvens alvas do céu. Oh, que delícia causara-me a sensação de alforria do cárcere recém aberto.
Hoje, aqui compareço grato pelo carinho, pela paciência e pelos cuidados de quem muito me amou e deixo meu depoimento àqueles que também carregam no recesso de seus lares pequenos pardais de assas quebradas cujos laços do passado os fizeram repousar no berço familiar. Como eu, também eles necessitam do vaso alquebrado que lhes sirva de recomeço após turbulenta existência.
Bendito seja Deus por sua misericórdia e sabedoria.    
  
                                                                
                                                          Alex. 


                          Psicografia recebida em Reunião de Psicografia 2014                                     
                          Médium: Ana   


9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ola marco gostaria de saber da minha mae desencarnou faz quase 3 anos e ela faceu com recentimento meu pois quando deu o avc nela ela nao conseguia falar e nao tive tempo de pedi perdao pra ea sofro muito por isso pesso ajuda para voce Nome tania de araujo maciel Idade 49 anos data da morte 06/08/2011 causa avc hemorragico desde ja agradeço meu email tataaraujo2009@hotmail.com.br

      Excluir
  2. ola marco gostaria de saber da minha mae desencarnou faz quase 3 anos e ela faceu com recentimento meu pois quando deu o avc nela ela nao conseguia falar e nao tive tempo de pedi perdao pra ea sofro muito por isso pesso ajuda para voce Nome tania de araujo maciel Idade 49 anos data da morte 06/08/2011 causa avc hemorragico desde ja agradeço meu email e tataaraujo2009@hotmail.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já anotei os dados dela e vou levar para reunião de psicografia, agora é só esperar e pedir a Deus,se for da vontade Dele e merecimento de vcs quem sabe? Um abraço.

      Excluir
    2. muito obridado agradeço pela atençao..que deus abençoe

      Excluir
  3. Olá
    Meu nome é Marcia Maria Marconato, perdi meu pai de acidente de carro, seu nome é Domingos Urbano Marconato, nascido: 29/05/1953 e morte: 29/03/2014, ele andou 17 km na contramão, na madrugada, eu e minha irmã sonhamos muito com ele, parece que ele quer nos dar um recado, queria saber se ele me perdoou? como ele esta? e porque fez isso? meu email: marconato_01@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcia tbem colocarei o nome na reunião de psicografia e vou tbem colocar na reunião de desobsesão para irradiação e ve se vcs param de sonhar com ele. Não fiquem com sentimento de culpa, qdo ficarem assim façam uma oração por ele. Não fiquem chamando por ele,porque isso o prejudica. Orem por ele. Um abraço.

      Excluir
  4. conto muito com a ajuda de voceis!!! e muito obrigada

    ResponderExcluir